BEM VINDO(A) À PÁGINA DA DIRETORIA DE GESTÃO AMBIENTAL DA UEPG

Neste ano, a Comissão de Gerenciamento de Resíduos implantou novas lixeiras na Universidade. Esta ação faz parte do Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (PGRS) da UEPG, o qual indica a correta disposição para cada tipo de resíduo produzido aqui.

Ao todo, são 100 kits de lixeiras distribuídos entre as instalações da UEPG em Ponta Grossa. Organizando o lixo em recicláveis, não recicláveis e orgânicos, parte dele pode ser reaproveitado, diminuindo a degradação ao meio ambiente.

A coleta seletiva é fundamental para a conquista do desenvolvimento sustentável da nossa Universidade, por isso, este conteúdo foi elaborado para que você possa obter mais informações sobre a destinação dos resíduos que fazem parte do nosso dia a dia.

VEJA O QUE VAI EM CADA LIXEIRA

O QUE É E O QUE NÃO É RECICLÁVEL

Não é correto dizer que determinado material não é reciclável. O que ainda não existe é tecnologia disponível e/ou economicamente viável para isso.

Entretanto, a presença dos rejeitos no processo de reaproveitamento de lixo reciclável, pode diminuir a qualidade do novo produto. Bem como a presença de compostos não orgânicos no processo de compostagem dos resíduos orgânicos também prejudica o resultado do material obtido.

Confira abaixo alguns exemplos de materiais que podem e que não podem ser reciclados.

LOGÍSTICA REVERSA: VOCÊ SABE O QUE SIGNIFICA ESSE CONCEITO?

Fabricantes de produtos como pilhas e baterias são responsáveis pela destinação final dos resíduos industriais provenientes da fabricação de seus materiais. A logística reversa é o conjunto de estratégias e ações para recolher esses produtos, após seu uso, da forma mais barata e ágil possível.

No bloco L da UEPG, você pode descartar pilhas e baterias no coletor do projeto “Papa Pilhas”.

Medicamentos comuns vencidos ou em desuso, inclusive a cartela de comprimidos (blíster) também são passíveis de logística reversa, pois, se descartados em local impróprio, acabam indo para o aterro ou para o esgoto, contaminando o solo e águas subterrâneas. Para eles, o ponto de coleta na UEPG é na Farmácia Escola, disponível para toda a comunidade universitária e externa.

O isopor também tem descarte em local específico na UEPG, você pode descartá-lo no prédio da Reitoria. O isopor é um plástico 100% reaproveitável, sua matéria-prima reciclada substitui a madeira ao ser usada para fazer molduras para quadros, sancas, rodapés, réguas e brinquedos, além de servir de insumo para concreto leve e solado plástico para calçados.

COLABORE COM INICIATIVAS SOCIOAMBIENTAIS

BRASIL SEM FRESTAS

O projeto Brasil sem Frestas tem como objetivo revestir internamente casas de madeira com embalagens tetrapack, proporcionando assim, conforto térmico, vedação e isolamento contra frio, chuva, vento, insetos e animais peçonhentos.

Na UEPG, a responsável pela iniciativa é a professora Eliane de Fátima Rauski. Pode-se, também, obter mais informações do projeto através do telefone (42) 99946-2270, falando com Evelyn Liber.

RECICLAGEM DO ÓLEO DE COZINHA

O descarte do óleo de cozinha usado não deve ser feito no ralo da pia, no vaso sanitário e nem com o lixo orgânico.

Para evitar que ele contamine mananciais aquáticos, solos e a atmosfera, o óleo deve ser armazenado em garrafas PET e encaminhado para pontos de coleta para posterior reciclagem e reaproveitado em matéria-prima de produtos como sabão caseiro, combustível e ração para animais.